Como comprar seu contrabaixo?


A primeira coisa a fazer é definir o valor que você vai querer gastar para a compra de seu contrabaixo lembre-se que você ainda deverá comprar um amplificador.
Outros detalhes importantes são o formato do braço (para torná-lo anatômico), o tamanho da escala (para facilitar a execução) e a opção entre o corpo e braço inteiriço (formando uma só peça) ou separados (o braço é colado ou parafusado ao corpo do instrumento).O braço inteiriço tem mais sustain, porque a ressonância das notas irá se repercutir através de todo o contrabaixo, sendo esta a tendência atual.

È importante definir se você quer um contrabaixo com captação passiva ou ativa (captadores ativos funcionam com uma bateria de 9 volts).Os ativos tem resultados finais muito melhores em matéria de timbres. Trabalham o som dentro de um espectro de tonalidade, mas você sempre pode usar um equalizador paramétrico para ajustar a timbragem de acordo com suas preferências. Agora se o som de contrabaixo que você quer é aquele som mais rock’ n ‘ roll é bom você descobrir qual o modelo de baixo que aquele baixista que você curte usa. Ou seja na escolha entre ativo ou passivo o que pesa é a finalidade musical e o seu gosto por timbres.

Os contrabaixos top de linha são os mais caros afinal você estará pagando pela marca, pela garantia de qualidade e por um acabamento de primeira. A questão é se você tem dinheiro pra tanto. Para quem está começando aconselho um instrumento intermediário que deve custar entre 600 a 1000 reais.Senão houver dinheiro para tanto compre um contrabaixo mais barato mas observe as dicas abaixo:

1- Quando for comprar seu primeiro contrabaixo leve alguém que já conheça um pouco sobre instrumentos, mas tenha em mente que estilo você vai tocar e quais modelos são usados por baixistas daquele estilo.

2- Comece testando o braço do contrabaixo. Prenda a 4ª corda ou 5º corda no 1º traste e ao mesmo tempo prenda o último traste. Observe se a distância da corda até o braço está mais ou menos por igual. Depois olhe o braço como se estivesse mirando um alvo. Se o braço estiver envergado pra frente ou pra trás é que o braço está com problemas.

3- Observe se o braço não é grosso demais isso dificulta uma boa pegada. Você deve se sentir confortável.

4- Depois veja que tipo de madeira é feito o contrabaixo. Muitos contrabaixos são fabricados com o corpo em aglomerado ou compensado pela simples redução de custo do instrumento. Então fique atento, pois esses tipos de madeira não apresentam uma boa sonoridade. Peça para o vendedor abrir a tampa que cobre as molas e observe a madeira.

5- Teste a chave dos captadores em todas as posições para ter certeza que não há mal contato.

6- Veja se a distância das cordas até o braço não está muito alta. Lembre-se se estiver muito alta você poderá sentir um desconforto para tocar, pois a força que você deverá fazer será muito maior. Se estiver alta e você gostou do contrabaixo peça para o vendedor regular a guitarra.

7- Não compre o contrabaixo porque você gostou da imagem dele tenha em mente que tipo de música você vai fazer. Não adianta nada você comprar um Rickenbacker se você vai tocar Jazz .

 
Contrabaixos com sistema passivo
 

O famoso Fender Precision, com um único captador, foi o primeiro contrabaixo elétrico a ser colocado à venda no mercado americano. O primeiro a aparecer com a idéia de um contrabaixo elétrico foi o inventor Clarence Leo Fender. Consciente do problema que os contrabaixistas enfrentavam, Fender começou, em 1950, a trabalhar num protótipo de um contrabaixo elétrico. Ele acreditava que, tornando o contrabaixo um instrumento tocado como a guitarra, ou seja, sustentado por uma correia pendurada, poderia haver uma enorme facilidade não apenas em nível ergonômico, como também com relação ao transporte do mesmo.

O primeiro baixo maciço de Leo Fender - o Fender Precision - entrou em produção em 1951. Em apenas dois anos o instrumento havia se transformado num grande sucesso. O nome "Precision" havia sido escolhido porque o contrabaixo possuía trastes na escala - ao contrário do grande instrumento acústico -, permitindo que as notas fossem obtidas com "precisão". Os primeiros Precision tinham um captador simples e controles de volume e timbre. A partir de 1956, o captador foi dividido em duas metades desalinhadas (single coil), tendo como finalidade minimizar a perda de sinal das cordas, bem como evitar, conforme a região que o contrabaixista executava as notas, que o "ataque" em excesso prejudicasse a sonoridade final do instrumento.

Jazz Bass



O jazz bass foi lançado em 1960, como alternativa de dois captadores para o Precision. O instrumento ilustrado é um dos primeiros modelos desse tipo; os marcadores de posição são ainda circulares (mais tarde viriam a ser substituídos por retângulos).
O Jazz Bass tem o mesmo comprimento da escala que o Precision, mas o braço é mais estreito na pestana. Muitos baixistas julgam que isso melhora um pouco a tocabilidade do instrumento.

Precision Bass




Fender - Média de preço - 4.000 reais
Não é necessário comentários. É a marca que inventou o modelo.

Fender Squire – Média de preço -1.300 reais
È a série barata da Fender normalmente feito na Coréia ou México.Um bom contrabaixo com um custo razoável.

Eagle - Média de preço - 450,00 reais
Bom custo benefício.

Gianini - Média de preço - 800,00 reais
Bom contrabaixo mas o valor está um pouco salgado.

Shelter - Média de preço - 590,00 reais
O baixo Eagle tem um preço melhor e a diferença é mínima.

Condor - Média de preço - 1.200,00 reais
È um ótimo contrabaixo bem melhor que o Fender Squire.

Strinberg - Média de preço - 350,00 reais
Pra quem está com a grana curta não é uma opção ruim.

Cort - Média de preço – 1.600,00 reais
È um ótimo contrabaixo bem melhor que o Fender Squire.

Viola Bass




A resposta da Gibson ao Fender Precision apareceu em 1953. Foi chamado EB-1, mas a cópia que a Hofner fez dele, - o modelo usado por Paul McCartney no começo dos Beatles - tornou-se conhecido como "baixo violino".

Hofner - Média de preço – acima de 3.000,00 reais

Epiphone - Média de preço - 1.600,00 reais

Condor - Média de preço – 970,00 reais
As marcas acima não é necessário discussão. Agora quanto ao Condor é uma bela cópia com um custo bem melhor que o da Epiphone.

Rickenbaker



Média de preço acima de 5000,00 reais

A Rickenbaker se destaca como sendo quase tão importante quanto a Fender no desenvolvimento do contrabaixo elétrico. Seu primeiro baixo, o 4000, foi lançado no final dos anos 50. Alguns anos mais tarde, juntaram-se a ele os modelos 4001, 4002 e 4003. Estes novos modelos possuíam, além das características do modelo 4000, saídas em estéreo.

Pra quem é fã dos anos 60 e 70 e de rock progressivo esse é o contrabaixo. A Gianini nos anos 70 fez uma cópia desse baixo e usava ferragens da própria Rickenbacker é difícil de se achar se você achar pagará por um usado na faixa de 1.500 reais.


Contrabaixos com sistema ativo
 
MUSICMAN


Depois de vender sua companhia para a CBS, Leo Fender ajudou a desenvolver, no começo da década de 70, outra lenda: o contrabaixo Music Man. Mais tarde, Leo Fender fundou a G&L, cuja estrela da linha de baixos com circuitos ativos foi o interceptor, cheio de graves e bem educados agudos.



Music man - sterling - - Média de preço – 7.000 reais
Essa é a marca que deu origem as cópias.Por isso custa tanto mas é um ótimo contrabaixo.

Music man olp - Média de preço – 1.300 reais
O Music Man OLP é a séria barata da Musica Man.Bom contrabaixo.

Condor - Média de preço – 800,00 reais
Bom custo benefício e é tão bom quanto um Musica Man OLP.

Groovin - Média de preço – 500,00 reais
Não testei

Strinberg - Média de preço – 370,00 reais
Não testei mas o valor está interessante pra quem está com a grana curta vale a pena dar uma testada.

Ibanez

Os contrabaixos da marca Ibanez são considerados dos melhores contrabaixos que existem. Possuem ótimo acabamento são leves e com boa sonoridade.
BtB - Média de preço – 2.100 reais

Sr acima de 2.000 reais


Condor

Ótimo contrabaixo com um preço bem interessante.
bc 5000 - Média de preço – 1.500,00 reais




STENBERGER

Só uma coisa dizer é ótimo.
Faixa de preço acima de 2.500,00 reais




Aria pro

Só uma coisa dizer é ótimo.
acima de 2500,00 reais



ZON HYPERBASS acima de 7000,00 reais
Braço construído em grafite. Acho que o preço já diz tudo. Normalmente os melhores contrabaixos são feitos por Luthiers, portanto feitos sob encomenda e é lógico que são muito mais caros.



 
Alembic - média de preço R$7.000,00
 
Durante os anos 70, a Alembic estabeleceu-se como um dos principais fabricantes de baixos elétricos. Essa empresa foi uma das primeiras a introduzir pré-
amplificadores e eletrônica "ativa" em seus instrumentos.

São instrumentos de alto valor monetário em virtude dos mesmos serem fabricados artesanalmente, obedecendo as especificações técnicas mais rigorosas, além de serem usados, em sua fabricação, os melhores materiais e componentes disponíveis.

Além da introdução dos circuitos ativos, a Alembic revolucionou também com relação aos componentes, como led luminosos em forma de diodos embutidos lateralmente no braço dos instrumentos.

 

Receba nossos artigos

 

Sobre nós:

A Primeiros Acordes tem como objetivo ensinar você a aprender a tocar no conforto de sua casa, com aulas, cursos, vídeo-aulas, métodos voltados para o aprendizado online.

Contato

Primeiros Acordes

Email: marcos.dupra@globo.com

Horário: 9:00 ás 18:00 hs

Não temos loja física