A inflluência do clima na manutenção do contrabaixo

Em qualquer estação do ano, as variações climáticas são intensas em nosso País, o que provoca diversos prejuízos a nossos instrumentos. Para citar um exemplo, a baixa temperatura pode causar o envergamento do braço porque, nestas condições, o tensor do braço — e qualquer outro objeto feito de metal — se contrai. Pelo mesmo motivo, também provoca trastejamentos no começo da escala.
 
Na verdade, o que causa tais alterações no instrumento é a mudança de temperatura, principalmente quando é abrupta, pois o tempo frio constante mantém a estrutura do braço estável. Não há nada efetivo que se possa fazer para evitar estes inconvenientes: é inútil deixá-lo em um case térmico, pois, se entrar em contato com um ambiente de temperaturas baixas, o braço irá sofrer o efeito não desejado da mesma forma.
O empenamento também pode deixar a ação das cordas mais alta e ‘dura”, o que pode causar a torção do braço, cujo conserto é caro e difícil, se o problema não for corrigido a tempo.
 
A solução para estes males é soltar o tensor aproximadamente de uma a 2/4 de voltas, a fim de que o braço volte a ter suas características normais. Às vezes, não é necessária nenhuma providência, já que, com o aumento da temperatura, o instrumento volta naturalmente às condições anteriores. Mas, se exposto à baixa temperatura por duas ou mais semanas, o braço pode empenar de forma irreversível. O defeito irá obrigar o músico a recorrer a um luthier para que a escala seja corrigida — o que será bem mais custoso do que um simples ajuste preventivo, que pode ser feito em casa.
 
No verão, o problema de trastejamento causado por temperaturas elevadas se manifesta mais timidamente. Por isto, quando se percebe o defeito, muitas vezes já não é mais possível revertê-lo. Outro inconveniente desta estação é que o aumento da transpiração contribui para o umedecimento dos componentes do instrumento. Desta forma, por ser uma substância abrasiva, o suor pode corroer a ponte, os parafusos, as cordas, a escala e o sistema elétrico do baixo. Aliás quem costuma tocar nas cidades litorâneas deve ter cuidado redobrado com estas partes em razão da oxidação provocada pela maresia.
 
Sugiro que, independentemente da época do ano ou da temperatura ambiente, você procure seu luthier de confiança para verificar as condições atuais de seu instrumento. Pode ser que ele indique uma regulagem completa ou um ajuste no tensor para adequar o braço do seu instrumento à estação em vigor.
Há casos em que o músico pede para o luthier ajustar o tensor para uma temperatura alta — de, por exemplo, 35°C — e, em seguida, vai ensaiar ou gravar em estúdio com o aparelho de ar condicionado ligado em torno de 22°C. Esta diferença de clima é o bastante para que o instrumento comece a trastejar nas primeiras casas. Por isto, é importante que você o notifique sobre as condições de temperatura do local de ensaio para que ele encontre um meio termo na hora de regular seu equipamento, evitando possíveis prejuízos causados por este tipo de variação térmica.
 

 

 

Receba nossos artigos

*
 

Sobre nós:

A Primeiros Acordes tem como objetivo ensinar você a aprender a tocar no conforto de sua casa, com aulas, cursos, vídeo-aulas, métodos voltados para o aprendizado online.

Contato

Primeiros Acordes

Email: marcos.dupra@globo.com

Horário: 9:00 ás 18:00 hs

Não temos loja física