A filha do Barbeiro

A filha do Barbeiro - Mococa e Paraíso

 

Intro:
 
E--|-0-0---0---0-----0-0---7-7-7-7-7-7-7-7------------
B--|-0-0---0---0-----0-0---7-7-7-7-7-7-7-7------------
G#-|-0-0---0-1-0-----0-0---7-7-7-8-7^8-7-7------------
E--|-0-0-2-0-2-0-1^2-0-0---7-7-7-9-7^9-7-7------------
B--|-0-0-4-0---0-----0-0---7-7-7-7-7-7-7-7------------

 

 (1) - Verso
E--|--------------------------------------------------
B--|---9-9-9-11-9-7-7---------7-----------------------
G#-|-7-8-8-8-10-8-7-7-8-8-7-7-7-8-7-------------------
E--|-7----------------9-9-7-7---9-7-------------------
B--|--------------------------------------------------

  

(2)
E--|--------------------------------------------------
B--|--------------------------------------------------
G#-|-5-5-5-5-8-8-3-3-1-1-0-0-3-1-0--------------------
E--|-5-5-5-5-9-9-4-4-2-2-0-0-4-2-0--------------------
B--|--------------------------------------------------

  

(3)
E--|--------------------------------------------------
B--|--------------------------------------------------
G#-|-0-1-1-1-3-1-0-0-0-1-1-1-3-3-3--------------------
E--|-0-2-2-2-4-2-0-0-0-2-2-2-4-4-4--------------------
B--|--------------------------------------------------

  

(4)
E--|--------------------------------------------------
B--|--------------------------------------------------
G#-|-7-7-7-7-5-7-8-3-0-0-0-3-1-0-0-0------------------
E--|-7-7-7-7-5-7-9-4-0-0-0-4-2-0-0-0------------------
B--|--------------------------------------------------

  

Numa velha barbearia um viajante entrou;
Enquanto fazia a barba pelo espelho ele notou:
Uma loira encantadora que pela rua passou,
E, para o velho barbeiro sorrindo a mão acenou.

  

Nessa hora o viajante para o barbeiro sorriu
E foi dizendo: - Esse loira em meus braços já dormiu!
Ainda sinto o calor do seu corpinho macio!
Mas o final da história o barbeiro impediu.

  

No pescoço do freguês a navalha foi passando,
Dizendo: - A loira não é quem você está pensando!
Essa loira é minha filha e sei quem estou criando
Agora vai me provar o que está me falando.

   

Quando o viajante viu seu pescoço em perigo
Tremendo e suando frio, disse: - Calma meu amigo,
Nunca conversei com ela, é verdade o que eu lhe digo -
Foi num sonho que eu vi a sua filha comigo.

  

O barbeiro acreditando no que dizia o rapaz
Como sonhar não é crime deixou ele ir em paz
Mas, se o medo ferisse tinha deixado sinais
Isto serve de exemplo pra quem fala demais.

Receba nossos artigos

 

Sobre nós:

A Primeiros Acordes tem como objetivo ensinar você a aprender a tocar no conforto de sua casa, com aulas, cursos, vídeo-aulas, métodos voltados para o aprendizado online.

Contato

Primeiros Acordes

Email: marcos.dupra@globo.com

Horário: 9:00 ás 18:00 hs

Não temos loja física