Conteudo principal

Mensagem de alerta

Você já ouviu o termo lendas urbanas? Uma dessas lendas urbanas é a de que o deficiente visual nasce com um ouvido musical.

É muito natural essa confusão, pois associamos que o deficiente visual tem o sentido auditivo mais apurado do que o nosso. Isso pode até ser verdade, mas o ouvido musical é bem mais que um ouvido apurado.

O ouvido musical é um ouvido que deve ser treinado para perceber as diferenças sonoras, seja de altura, volume, timbre. Essa percepção auditiva em geral deve ser treinada com o aluno, pois a maioria das pessoas não tem o chamado ouvido absoluto.

Quem é cego não nasce necessariamente com ouvido absoluto que, aliás, é muito raro. O cego ou portador de baixa visão precisa ser ensinado a distinguir as notas musicais. E mesmo que tenha um ouvido absoluto, a percepção musical precisa ser estimulada.

Exercícios de percepção com níveis de dificuldade crescente precisam ser aplicados em todas as aulas, principalmente para o aluno dos instrumentos de cordas. Os alunos de instrumentos de cordas precisam aprender a afinar o seu instrumento sem a necessidade de um afinador, pois infelizmente os afinadores existentes no mercado deixam muito a desejar em matéria de acessibilidade.

Não pense que nasce um Ray Charles ou Stevie Wonder a cada hora no mundo. É natural que o ouvido do portador de deficiência visual seja mais apurado, mas ouvir bem não é necessariamente ouvir musicalmente.

O professor de música de um portador de deficiência visual tem o dever de ajudar o aluno a distinguir os sons para que o aluno tenha mais autonomia com o seu instrumento.